Search for content, post, videos

O Amor, Simplesmente – Cap 118

O final do ano se aproximava. As férias mais esperadas por todos estava há uma semana de distância e o Natal, há duas. Faltava muito pouco tempo para tudo. As provas de vestibular já tinham passado e agora a única preocupação era não ficar reprovado no colégio. Como os resultados só começariam a aparecer na segunda semana de janeiro, todos teriam uma folga física e mental para curtir as festas de final de ano. Inclusive Tati, Beta e Dani.

– O que voce quer de presente, amor? – Tati perguntava para Beta enquanto esperava a namorada terminar de se arrumar.

Era sexta e elas precisavam ir à escola pegar as notas finais. A ultima semana tinha passado voando e agora só restava mais uma semana para o Natal.

– O meu maior presente é você, então eu só quero você mesmo. – Beta nunca gostou dessa coisa de pedir presentes, achava chato e meio fútil as vezes.
– É serio! Eu não quero correr o risco de comprar algo que você não vai gostar!
– Amor, voce me conhece bem. Não ha chance de comprar algo que eu não vou gostar.
– Não é bem assim, né?
– Já é nosso segundo Natal juntas
– Mas no ultimo Natal a gente só namorava há pouquíssimos meses e além do mais esse ano foi bem mais agitado.
– Nisso eu concordo. Esse ano foi uma agitação só

As duas se perderam em pensamentos e memórias de tudo que tinham vivido naquele ano. Mesmo com tão pouco tempo de relacionamento já era engraçado perceber que o que tinham era muito mais forte do que casais que estão há muito mais tempo junto.

Na porta do colegio encontraram Dani conversando com Estella. Era engraçado ver a professora que ali agia de forma séria e recatada deixar escapar um sorriso bobo quando estava perdo de sua menina.

– E aí? Como será o Natal? – Dani perguntou assim que avistou as amigas
– Eu preciso passar meia noite com meus pais, sabe como é né? – Tati foi a primeira a responder
– Seguinte: meia noite fiquem com seus pais e depois todo mundo convidada para a ceia especial lá em casa – Estella falou enquanto olhava em volta para garantir que não tinha ninguém por ali.
– Ceia especial? Como não estou sabendo disso? – Dani falou enquanto olhava para as amigas
– Confiem em mim. Vocês vão adorar.
– Por mim, fechado então! – Beta encerrou o assunto
– Agora as três para dentro que é hora da nossa última aula

Dani sorriu e piscou para sua professora enquanto se metia no meio de Tati e Beta para entrarem no colégio. Estella deu a volta e entrou pela área reservada aos funcionários. Ela achava mais garantido não ser pega conversando com a Dani pelos corredores. Seu limite era a escada da frente.

A aula de Estella tinha sido diferente. Ela estava mais leve e sorridente com a turma. Foi uma surpresa geral quando ela anunciou que ninguém tinha ficado reprovado. Do jeito que ela era severa e má, muitos tinham certeza de que ela reprovaria alguém só para mostrar seu poder. Ela distribuiu as provas e para supresa de Dani, pela primeira vez, a prova dela veio com um recado na última página. Que seu sorriso continue combinado ao meu pelo próximo ano. Está certo que não é nada muito romântico, mas considerando o medo de Estella, era um recado e tanto. Tati e Beta também ganharam recadinhos: vocês já fazem parte dessa pessoa que me tornei, e por isso, agradeço do fundo do meu coração. Era possível ver uma lágrima pendendo no canto do olhar de Tati. Ela sempre foi a mais emotiva.

A noite de Natal finalmente havia chegado. Tati comprou um boné para Beta. As duas se juntaram e compraram um diário super chique para Dani. Dani fez caixinhas de artesanato com fotos delas para dar para Beta e Tati. Dani comprou uma camisola super linda e sexy para Estella e a professora tinha preparado seu presente para a ceia. Não era nada material, mas elas iam amar, tinha certeza.

Em suas respectivas casas, as meninas ceiaram e trocaram os presentes com as famílias. Mas não esperaram nem meia hora para se despedirem. Os pais de Tati ficaram com os olhos cheios de lágrima ao perceberem que a menininha deles estava crescendo, inclusive indo embora na noite de Natal. Os pais de Beta até gostaram da ideia, já que poderiam ter a casa só para eles. A mãe de Beta a deixou na casa de Tati e seguiu para o plantão no hospital. A noite de Natal é a que paga melhor e com a ideia de Dani ir para a cidade grande, ela precisava juntar algum dinheiro extra.

– Feliz Natal, amores da minha vida! – Dani gritou enquanto abraçava Beta e Tati, uma em cada braço.
– Que esse seja o primeiro de muitos natais só nosso! – Tati respondeu enquanto beijava o rosto da amiga e dava um selinho em Beta
– Será só o primeiro, tenho certeza! – Dani falava enquanto retribuía o beijo e abraçava Tati.

As três seguiram juntas para casa de Estella. Na rua, podiam ver as familias se abraçando e rindo em volta da mesa de Natal. Sempre que viam uma cena dessas, se entreolhavam e tinham a consciência que estavam fazendo a mesma coisa: Celebrando essa noite ao lado da família.

– Feliz Natal, meu amor! – Dani pulou no colo de Estella assim que ela abriu a porta de casa
– Feliz Natal, minha criança!
– Feliz Natal, Estellaaaaa! – Tati gritou e abraçou a professora
– Feliz Natal, meninas!
– Meu amor, que mesa linda é essa? Tava esperando alguém? – Dani falou enquanto andava em torno da mesa que Estella tinha preparado
– Estava esperando a minha família

As três se entreolharam e deram sorrisos fofos e simpáticos para a declaração de Estella. Dani foi a primeira a dar o presente, mas a proibiu de abrir na frente das amigas. Estella ignorou e abriu assim mesmo. Depois confessou que preferia não ter feito. Dani e Tati deram uma garrafa de vinho e um lindo cachecol para Estella que na mesma hora abriu a garrafa e vestiu o presente. Estella então foi até o quarto e pegou três caixinhas de joia, pequenas e vermelhas.

Tati e Beta abriram as suas primeiro e dentro de cada uma delas tinha uma chave. Elas não entenderam muita coisa e olharam para Dani que só então abriu a sua. Na dela, tinha uma chave, mas no chaveiro, preso, havia um anel de prata com uma pedra azul linda.

– Eu esperei para contar a novidade hoje. Eu conversei com o diretor, aliás, ele me chamou para conversar e disse que um grande amigo pediu uma indicação de professora para uma escola particular na cidade grande. O diretor disse que sabe do meu caso com você, mas como ainda não havia atrapalhado em nada o andamento das aulas e também parecia consensual, ele apenas estava de olho. Para não haver mais problemas, ele perguntou se eu queria essa vaga na cidade grande. Então, o meu presente para vocês, Dani e Tati, é que, se vocês quiserem, vou poder dividir o apartamento e como vou ganhar um pouco melhor, posso ajudar ainda mais nas despesas de casa. – Estella falou enquanto as duas olhavam boquiabertas.

– Está brincando? Vai ser ótimo ter você na nossa casa! – Tati falou enquanto abraçava a professora
– E não só pela parte financeira, você é super bem vinda para morar com a sua família – Beta usou a mesma palavra enquanto abraçava Estella apertado.

As três já estavam chorando enquanto Dani fitava seu anel. Estella entao se aproximou, pegou o anel da caixinha de Dani, se ajoelhou em sua frente e na frente de suas amigas e disse:

– E a você meu amor, meu presente é prometer que vou fazer o meu possível para te fazer feliz, assim como você me faz todos os dias. Não estou falando de casamento nem nada muito apressado, mas estou falando de compromisso, de respeito, de carinho e de muito amor. Você aceita?

Dani estava em prantos. Tati se assustou, até porque a amiga nunca chorava. Ela apenas balançou a cabeça e foi o suficiente para Estella colocar o anel, que coube perfeitamente, levantar, a abraçar e beijar de leve.

– Meninas, quis fazer isso aqui na frente de vocês porque quero garantir que vou cuidar dessa menina com toda a minha vida.

Agora era uma choradeira enorme e as quatro se abraçaram. Na maior parte das vezes não dava nem para perceber que Estella tinha quase 10 anos a mais que as meninas.

A garrafa de vinho já estava pela metade e elas já riam e comentavam sobre os presentes que tinham ganho. Não comiam comida tradicional de Natal, na verdade, Estella tinha feito pizza mesmo.

– Estella, uma duvida: essa chave? É da onde? – Beta perguntou enquanto se ajeitava no sofá
– De lugar nenhum, foi só para representar mesmo – as quatro riram e voltaram a falar de planos para o próximo ano.

Tati e Beta dormiram no sofá enquanto Dani e Estella foram estreiar a camisola nova. Era o primeiro Natal de uma nova família que se formava pouco a pouco.