Menu fechado

O Amor, Simplesmente – Cap 114

As semanas seguintes pareciam normais e muitas vezes chata. Estella e Dani continuavam se encontrando todos os dias durante a tarde nas “aulas particulares”. A menina ainda dividia seu tempo em atenção para Beta e Tati e estudos. A professora parecia andar em nuvens. Estava completamente apaixonada e curtia cada momento daquele relacionamento escondido que a fazia suspirar pelos cantos e ao mesmo tempo morrer de medo de ser descoberta. Nos intervalos das aulas, aproveitava para tomar conta de sua criança enquanto fingia estar concentrada em algum livro ou na própria comida.

Beta e Tati já tinham passado da fase de lua de mel e agora encaravam o tão temido terceiro ano com o apoio e o ombro amigo que encontravam uma na outra. Entre livros, cadernos e provas, arrumavam tempo para namorar e planejar o futuro que gostariam de dividir.

– Um apartamento de um quarto só, amor!
– Mas e quando a Dani for pra lá?
– Tati, você acha mesmo que tendo a Estella em casa ela vai querer dormir no quarto ao lado do nosso?
– O que você está dizendo da professora Estella, dona Beta?
– Nada, minha criança linda. Só que Dani prefere ela a nós!

E então, Beta puxava a namorada e as duas caíam na cama de casal do quarto de Tati para trocarem beijos e carinhos enquanto davam uma pausa no estudo de matemática. Finalmente já tinha chegado a sexta novamente. No sábado seguinte não teriam provas e Dani estava na casa de Estella e ficaria por lá até o dia seguinte. A noite era só delas e prometeram que não iriam pensar em estudo algum. Precisavam de algumas horas de paz.

– Já resolveu qual filme vamos ver? – Tati perguntou enquanto pegava a toalha para ir para o banho
– Não. Hoje você resolve!
– Ah não, amor. Você resolve!
– Você sabe que sou péssima com decisões. Faz assim, pensa em alguns e decidimos juntas
– Ok. Penso enquanto tomo banho
– Não demora!

Tati entrou no banheiro e quando o chuveiro foi ligado, Beta pegou o celular e ligou para a mãe, avisando que ficaria aquela noite por ali. No dia seguinte o casal seguiria para a casa de Beta para almoçarem com seus pais. Era aniversário do pai de Beta e eles iriam comemorar juntos. Enrolada na toalha branca e com os cabelos pingando nas costas, Tati parou na porta do banheiro esperando que sua namorada a percebesse, Beta não demorou a ver a provocação.

– Amor, sua mãe está em casa, não posso te agarrar! – Beta falou enquanto virava de lado na cama de Tati
– MÃE!! – Tati gritou sem se mexer

Não houve resposta alguma. O grito parecia ter ecoada por toda a casa. Ficou claro então que estavam sozinhas. Beta levantou, tirou o tênis, meias, abriu a calça jeans deixando a barra da cuequinha a mostra, tirou a blusa, tirou o sutiã e foi andando calmamente até estar a poucos centímetros da namorada.

– Acho que seu banho foi muito rápido, precisa de outro.
– Sabe que eu pensei a mesma coisa?

Tati sorriu e fez uma ceninha para arrancar a toalha e mostrar o corpo nu para a namorada. Beta não pensou muito, agarrou Tati pela cintura quase a tirando do chão, lhe tascou um beijo daqueles e a arrastou de volta para o banheiro. Tati ligou o chuveiro enquanto Beta terminava de tirar a roupa e se molhava junto.

A sexta terminava relembrando o início do namoro entre elas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Manda uma mensagem pra gente!