Menu fechado

Meu querido diário – Becca & Vicky – Cap 61

Domingo tudo parecia ter gosto de despedida, o próximo encontro poderia demorar muitos dias. Rebecca acordou Vicky para que ambas preparassem um belo café da manha.

Fizeram mil planos, queria ir ao shopping, assistir um filme no cinema, almoçar na praça de alimentação, comprar algum presente. A cada plano traçado uma simples troca de olhar, e o plano logo era desfeito. E se amavam.

Rebecca pegou uma caneta escreveu o numero dezessete no dedo do pé de Vicky e fez o mesmo no seu dedo do pé. Vicky olhou com descrença.

– Tatuagem de tinta de caneta. Você desenha bem.

– Eu sabia que não teria coragem.

– Vamos! Vamos agora. Podemos tomar um banho rápido e pegar um ônibus e em minutos estamos de volta. E podemos continuar a namorar.

– Agora, eu pensei.

– Não pense, aja. Eu estou pronta.

– Eu nasci pronta.

– Tive que pagar seis vezes o valor de uma tatuagem. Para que ele aceitasse. Vai ficar tudo bem.

– E sua mãe? Eu não quero que ela volte com a ordem de restrição.

– Relaxa. Vai ficar tudo bem, minha mãe não olha para baixo.

– 17. Disse Rebecca admiranda sua tatuagem.

– Não poderíamos ter escolhido melhor.

Voltaram ao apartamento, se amaram como se fosse a ultima vez. Vicky só queria encontrar um meio de ter Rebecca em seus braços. Rebecca só queria ter vitalidade para acompanhar o ritmo de Vicky. O domingo foi bem vivido, no inicio da tarde Rebecca e Vicky voltaram para suas casas.

Para viverem suas rotinas, Rebecca fingindo se importar com que os orientadores te diziam Vicky fingindo ser a filha perfeita de uma família perfeita. Rebecca aproveitava os almoços com seus tutores, Vicky almoçava sempre sozinha. Rebecca quebrava a rotina nos fins de tarde na companhia sempre alegre de Apollo, Vicky aproveitava os fins de tarde para elaborar planilhas e organizar eventos sociais.

Rebecca foi ao aconselhamento juvenil, familiar e pessoal. Vicky foi à feira de adoções de animais. Rebecca mentiu para a psicóloga em todas as sessões, Vicky contou em detalhes suas angustias. Rebecca bebeu e fumou modernamente e conseguiu disfarçar bem, Vicky vivia longe dos vícios.

Eram como duas metades de uma mesma peça. Sentiam igualmente a falta uma da outra, ansiosa por qualquer vestígio de presença. Olhavam para a lente da webcam, como quem olhava uma arte exposta numa galeria. Vicky expressou seus sentimentos em poemas, poesias, rimas, Rebecca expressou seus sentimentos aplaudindo-a literalmente ao final de cada leitura.

sig_egPimenta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Dúvidas? É só chamar aqui!