Search for content, post, videos

Filme americano – Cap 11

O treino de sexta seria decisivo. O técnico não poderia treinar um time com apenas duas meninas e por isso, Beca e Nina precisavam que mais meninas aparecessem. Durante a semana aproveitaram a exclusividade da quadra para treinar chutes e colocar Carla em sintonia com elas duas. Era engraçado com as meninas se conheciam a tão pouco tempo, mas já pareciam amigas de anos. Beca sabia exatamente os pontos fracos da goleira Nina e a mais velha sabia exatamente onde ela iria chutar. Carla rapidamente se agregou a elas e a sintonia começou a ficar ainda mais clara e produtiva. Outras meninas adoravam assistir aos treinos no horário do recreio e até torciam para alguma delas, as vezes. Por um momento, o time principal do colégio passou a ser o delas e não mais o dos meninos.

Depois do convite para saírem, Joguí ficou tímido demais para se aproximar de Beca e apenas sorria e acenava de longe. A menina também não estava fazendo muita questão de se aproximar dele, já que não sabia como lidar com esse eventual encontro. Apenas sorria sem graça e procurava os olhos de Nina, que sempre estava por perto para pedir um pouco de apoio de amiga. Realmente, parecia que nunca tinham brigado nem nado. Estavam em céu de brigadeiro, como costumava dizer o pai de Beca.

Já estavam todas em campo quando o treinador chegou com as bolas, apito e alguns coletes. Nina, Beca e Carla estavam aquecendo e contando piadas entre elas. Foi quando viram mais duas meninas chegando um pouco depois do técnico. Eram iguais, muito iguais mesmo e Negão até demorou para falar alguma coisa. Juca e Juliana eram uma série abaixo de Beca e Carla e duas abaixo de Nina. Eram gêmeas e as duas jogavam na defesa. Era bem possível confundir as duas se não fosse o corte de cabelo: Juca tinha o cabelo curto e Juliana um rabo de cavalo enorme preso com um elástico branco. Nina e Beca deram pulinhos de felicidades quando elas se apresentaram ao time.

Negão comemorou o crescimento do time da melhor forma possível: treino mais longo ainda. Tirou o couro das meninas e deixou elas bem exaustas, mas bem alegres também. As quatro foram juntas até o vestiário para trocarem de camiseta e pegarem as mochilas. Juca e Juliana contaram um pouco de como elas começaram a jogar futebol, Carla, que já estava mais solta, contava piadas e Nina e Beca pareciam as duas melhores amigas de toda a vida, uma completando a frase da outra e fazendo as mesmas piadas. Era um time, enfim.

Joguí não esperou muito e foi embora assim que Negão o liberou. Ele tinha passado todo o treino meio calado, um pouco nervoso. Nina e Beca sabiam que deveria ser por causa do encontro. Carla, Juca e Juliana saíram juntas pelo portão principal da escola e logo depois Nina e Beca pegaram o caminho da casa de Beca. Ainda tinham quase três horas para Beca estar perfeitamente pronta para seu primeiro encontro.

– Eu não sabia que você e o Joguí tinham um lance – Nina falou assim que entraram na rua de Beca
– Mas nós não temos. Pelo menos, nunca tivemos. Crescemos nessa rua e éramos amigos da quadra de futebol
– Então, parece que hoje vai ser tudo meio novo, não é?
– Exato. Por isso estou tão desesperada
– Olha, não tem desespero nenhum. Faz o que você quiser, seja você mesma e está tudo garantido

Beca apenas sorriu quando chegaram na porta de casa. Seu pai estava dando aulas particulares por mais uma hora e não estaria lá para fazer perguntas desconfortáveis e que a deixariam sem graça.

filme_11

– Então quer dizer que somos amigas agora? – Beca falou logo depois de fechar a porta e largar a mochila na sala
– Eu nunca pensei que não seríamos, você que dificultou no início, lembra?
– Não estava nos meus melhores dias, desculpa!
– Ficou no passado. Já que somos amigas, preciso dizer: estou com fome
– Eu estou faminta! Vem que tem comida na geladeira.

Nina e Beca preparam um prato digno de pós treino e comeram na mesa da cozinha enquanto discutiam escalações de seus times, posições e relembravam alguns jogos inesquecíveis que já tinham assistido. O futebol realmente as unia, mas não seria a única coisa em comum entre elas. Beca colocou a louça na pia e teve que brigar com Nina para ela não lavar. A mais velha rapidamente se acomodou na cama da menina enquanto a outra tomava um banho para começar a se arrumar.

– Você quer tomar um banho? – Beca perguntou assim que entrou de volta no quarto enrolada na toalha e com o cabelo molhado pingando pelo ombro
– Não precisa! Estou aqui para te ajudar, tomo banho em casa! – Nina falou enquanto, involuntariamente, reparava em todas as curvas da menina
– Então tá bom. Esse é meu armário – Beca abriu as duas portas do móvel que tinha mostrando uma variação quase nenhuma de cores
– O que voce mais gosta de usar? – Nina perguntou enquanto passava roupa por roupa
– Sinceramente? Calça e camiseta!
– Então é assim mesmo que você vai!
– Pera. Quer dizer que você não vai tentar me convencer a colocar um vestido e salto alto?
– Se voce não gosta dessas roupas, não!
– Acho que já te amo!

Beca lembrou de quando foi se arrumar com Mari e Camila e como elas não aceitavam, de forma alguma, seu gosto para roupas. Nina era diferente, ela queria arrumar Beca, mas de uma forma que ela realmente se sentisse bem. Era como se ela nem existisse de tão perfeita que parecia ser. Isso sim é amiga de verdade pensou Beca.

O armário de Beca não era grande e nem tinha muita roupa. Seu pai não tinha muito dinheiro e ela não ligava muito para essas coisas de moda e estilo. Escolheu a calça mais nova que tinha. Era preta, justa e com um pequeno detalhe na lateral, bem discreto. Experimentou praticamente todas as blusas que tinha no armário. Nina sempre a mandava tentar outra para ver qual ficava melhor e ela estava adorando receber aquela atenção toda da mais nova amiga.

– O que você acha dessa? – Nina tirou mais uma do armário
– É uma das minhas favoritas, mas acho que está um pouco velha
– Tem razão, próxima. E essa?
– Acho que pode ser uma boa, me dá aqui – Beca tirou a que estava no corpo ficando só de sutiã e calça antes de pegar a próxima peça

Nina olhava aquele pequeno corpo tão ágil no campo, mas tão singelo ali. A menina era magra, tinha alguns músculos nos braços e pernas. Não era morena, mas o sol que pegava enquanto jogava futebol a deixava com o rosto um pouco mais moreno que o resto do corpo. Ela se movia com tranquilidade e leveza pelo quarto. Era uma cena bem inesquecível.

– Perfeita! – Nina falou assim que Beca experimentou a blusa azul que tinha pego
– Também gostei dessa. E combina com um tênis novo que ganhei no Natal – Beca pegou o sapato e calçou, esperando a aprovação de Nina
– Se o Joguí não quiser te levar para sair hoje, eu levo.

As duas riram com a brincadeira, Beca agradeceu a Nina mais uma vez e disse que assim que chegasse em casa, ligaria ou mandaria mensagem para contar todas as novidades do encontro. Pela primeira vez, Beca estava se sentindo em um daqueles filmes americanos: tinha um time na sua escola, amigas que também amavam futebol e uma nova melhor amiga.

 

Está gostando da história? Então deixe seu comentário para a autora ficar feliz e saber que vocês estão curtindo! <3