Search for content, post, videos

Era tudo que eu tinha – Parte 2

tumblr_mh4yefhF7n1r4si2co1_500Abril se aproximava, e junto com ele o aniversário de Gabi. Ia ser em uma sexta feira, Juca não teria problemas para voltar para cidadezinha para comemorar o aniversário de sua amada ao lado dela. Não teria se não fosse o medo do que iria encontrar, e o convite da “festa do ano” que tinha acabado de receber. Como dizer isso a ela? Gabi estava esperando Juca. Gabi a amava, e Juca amava Gabi. Mas Juca estava querendo um pouco mais naquele momento.

 

 

 

Quinta feira, Juca ligou para Gabi.

– É por causa da prova que tenho na segunda

– Mas é meu aniversário

– Eu sei. Estou com saudades

– Entao vem ficar comigo, prometo te deixar estudar.

– Eu não posso, tenho medo de não estudar.

– Mas eu também tenho que estudar, te ajudo.

– Não posso.

– Não pode, ou não quer?

– Como assim? Lógico que quero?

– Não parece, tem andado tão distante. – A frase que Juca temia ouvir, iria aparecer cedo ou tarde.

– Não fala assim, só tenho andado ocupada.

– Tudo bem Ju, não precisa vir. Só não aguento mais essa indecisao, não sei mais o que voce quer. Te amo muito para sofrer assim. Quero um tempo para pensar.

– Voce ta terminando comigo? – Juca sabia que isso poderia acontecer

– Só estou pedindo um tempo. Só isso.

– Quanto tempo?

– O necessário para pensar.

– Eu amo voce. Nunca deixei de te amar.

– E nunca vai deixar, mas a vida pode mudar o nosso amor. Preciso ir. – E assim Gabi desligou o telefonema que fez o mundo de Juca desabar.

Depois disso, o celular tocou novamente, eram os amigos convidando para uma festa. Ela foi, precisava não chorar.

De volta aquela manha

Quando se levantou viu ao seu lado um corpo de homem. A noite passado veio como um soco no estomago a sua memória. Lembrou do excesso de cerveja, das maos que foram correndo pelo seu corpo, da boca em outra boca, do sexo sem sentido, dos risos, e chorou. Saiu do quarto correndo, estava no alojamento da faculdade ainda. Foi até o seu quarto, arrumou a mala, pegou a chave do carro. E junto com as lágrimas ao som do ipod ligado no carro pensou e disse. “Ela é tudo que eu tenho, sem ela não pode ser. É ela que eu amo, e é ela que eu quero”. Precisava repetir isso, mas para outra pessoa ouvir.