Search for content, post, videos

Buracos – Cap 11 – Dessas coisas

O mundo está correndo e você corre junto com ele também. Corre, corre, corre…tropeça entre os buracos e curvas sinuosas, corre mais um pouco, cansa, para e se demora.

Vê de longe o avião esbarrar nas nuvens, vê o navio flutuar nas águas profundas do mar… deixando sempre alguém a esperar. Vê o trem cortar o ar sem pestanejar, vê os carros parecendo vaga-lumes de tanto piscar e vê pessoas sendo puxadas e levadas pelo vento sem fazer nenhuma questão de querer ir ou estar.

Espia tudo isso de longe, na espreita, nas frestas das portas, entre as árvores, com medo até da sombra que ela dá. Vê calada e parada tudo se movimentar, continuar.

Alguns aprendem desde pequeno com as lições concluídas e inacabadas de seus pais, seus tataravôs, bisavôs, avôs, amigos, colegas, conhecidos e até mesmo estranhos ou na sua própria caminhada a não se demorar…

Aprende que o que faz mais feliz são os risos soltos, as vontades vividas. Que a terceira melhor coisa do mundo, além da coca cola e de comer, é esquecer do dia brincando sem se preocupar. Lembra que existe sempre algo para aprender e ensinar, que gentileza e educação nunca saem de moda, e que o leve e traz das ondas é similar aos fardos que carregamos, e mesmo assim seguimos e não paramos.

Porém depois de tudo e todos, as vezes vem um rajada de vento que te joga com violência contra a parede, e aquela concepção infantil do mundo amadurece… e você esquece de sonhar.

Esquece que dias melhores virão. Esquece que sempre há um sol esperando pra recomeçar. Esquece que a lua tem suas fases. Esquece que pode ir até as estrelas. Esquece que vale a pena lutar e viver. Esquece que errar é humano, e que o erro as vezes te leva ao acerto e a algo bom.

Pode até ser contraditório, mas as vezes você acerta mesmo sem querer e sem saber, e isso muda a sua caminhada.

A vida tem dessas coisas. Só que você simplesmente se deixa levar.

É um tipo de pedra que incomoda e subjuga seu calcanhar. Faz com que fique aí parada a se demorar sem acreditar o quão mágico e verdadeiro possa ser. Faz com que seu pé fique nesse entra e sai, nesse vem e vai, num querer que não é poder. Nessa demora de deixar seus sonhos virarem apenas sonhos.

sig_mai.png