Menu fechado

20 e Poucos Anos – CAP 90

Samanta entrou no provador e não esperou Sophie entrar por conta própria. Ela puxou a francesa e girou no próprio eixo levando-a para a parede.

– Hum…forte. Gosto disso, sabia? – falou Sophie tocando os braços de Sam.

– Sabia. – falou a morena antes de enterrar seus lábios nos de Sophie que rapidamente abriu os seus para deixar passar a língua faminta de Samanta.

Elas tinham consciência que a qualquer momento alguém poderia entrar no ateliê, pois era sábado e as portas do local estavam abertas, por isso não ficaram com delongas. Rapidamente, Sophie abriu o cinto e os botões da calça de Samanta e tocou-lhe a região já molhada. A francesa sorriu safadamente sem descolar os lábios dos de Sam e aos poucos foi enfiando seus dois dedos do meio na fenda da morena enquanto falava:

– Hoje eu vou primeiro, mon amour.

– Primeiro as da-mas…- disse Sam diminuindo o tom de voz assim que sentiu os dedos macios da francesa lhe penetrando vagarosamente. Ela gemeu ao ouvido de Sophie e depois começou a beijar-lhe o pescoço enquanto começava a se mover contra a mão desta. Aos poucos os ritmos foram aumentando e Samanta começou a gemer mais alto, então, no momento do clímax, ela beijou com fúria os lábios de Sophie enquanto seu corpo dava pequenos espasmos de prazer.

– Que rápido! – exclamou baixinho a francesa.

– É o que o momento pede, meu bem. – e com um sorriso cínico se abaixou devagar enquanto inspirava o cheiro do perfume que impregnava o vestido da mulher.

Sophie encostou-se mais à parede e sua respiração ficou pesada no momento em que Sam beijou-lhe a região de prazer por cima da roupa.

As mãos da morena agarraram as panturrilhas de Sophie com firmeza e depois foram subindo com força pelas coxas levantando o vestido em seu caminho.

Ela passou a língua por cima do tecido da calcinha da francesa, que gemeu e segurou a cabeça de Samanta instantaneamente, a qual sorriu e se afastou um pouco.

– Abaixa a calcinha! – ordenou Sam de onde estava.

Sophie obedeceu sem pestanejar.

– Até aí! – disse a morena fazendo a francesa parar a peça de roupa na direção dos joelhos.

– Traz aqui! – ordenou mais uma vez Samanta que estava a poucos centímetros de distância. Sophie se desencostou da parede e devagar colocou sua região pulsante nos lábios carnudos da morena. Então gemeu de satisfação e se moveu contra a boca de Samanta enquanto falava em francês:

– Que boca maravilhosa, meu amor! Beije com força! Beba tudo de mim! Beba tudo! – e gemeu alto esquecendo-se completamente de onde estava.

Samanta também já não se importava mais com nada. Apenas colocou a perna de Sophie sobre seu ombro e empurrou a francesa de volta para a parede enquanto chupava a mulher à sua frente não deixando uma gota do líquido que saia desta, até que Sophie falou pesadamente.

– Quero você…dentro de mim…agora!

Samanta levantou-se de súbito e sem qualquer aviso enfiou o polegar na francesa e pressionou sua mão com a própria perna enquanto beijava o pescoço de Sophie e lhe apertava os glúteos com a mão livre.

– Pare! Pare! Sem marcas!

Mas Samanta não parou, então Sophie afastou o pescoço dos lábios de Samanta que revoltada lhe mordeu o ombro.

– Não me deixe marcas, imbecil! – e deu um tapa forte em Samanta que olhou enraivecida para a francesa.

As duas ofegavam e se olhavam com raiva, então sem prévio aviso começaram a se beijar novamente de forma agressiva, enquanto Sam penetrava a francesa com cada vez mais velocidade.

Um gemido agudo, abafado pelos lábios de Samanta, deixou claro que Sophie havia chegado a um orgasmo.

Depois que as duas se arrumaram, saíram até a área comum do ateliê e constataram que ainda estava vazio. Rezaram para que ninguém tivesse ouvido nada.

Sophie olhava o pescoço em um espelho que tinha por ali enquanto falava:

– Ainda bem que ficou apenas vermelho. Se tivesse ficado roxo você iria me pagar. Como iria usar o vestido no evento de terça? Me encharcando de maquiagem até os ombros?

– Não estava sabendo que você iria.

– Está implícito que eu iria, mon chéri. Este será um grande evento com a presença de renomes da moda e lançamento de novos estilistas. Como poderia faltar?

– Ouvi dizer que Coco Chanel estará nesse evento.

– Sim, ela estará! Mal posso esperar…eu iria convidar você, no entanto, François decidiu viajar comigo para Paris este final de semana e iremos ficar na casa da família dele até o dia do evento. Logo, não poderemos nos ver este final de semana, mon amour, mas ao menos matamos um pouco da saudade aqui.

– Sim, é verdade. Mas estive pensando em ir, não como sua acompanhante, claro, mas acho que seria bom para começarmos a lançar o ateliê. Acredito que essa é uma ótima oportunidade para…

– Não! Será muito arriscado. Se alguém reconhecer você como a “minha afilhada aprendiz” que vai comigo à Paris com frequência, isso poderia gerar desconfiança em François o que seria terrível para nós, mon chéri.

            “Mas não se preocupe, existem vários eventos desse porte en France. Você terá oportunidade para isso”.

Sam assentiu não muito satisfeita e, depois que Sophie se foi levando os vestidos que havia encomendado para si e os que haviam sido desenhados por Claude, Samanta ficou pensativa a respeito daquele evento. Seria um abre alas maravilhoso para o ateliê uma vez que eles estariam vestindo uma das mais ricas famílias da França.

            – Nosso dia vai chegar. – pensou isso e começou a reunir algumas coisas que levaria na segunda para Paris.

 

 

 

 

Comente! ;)

Manda uma mensagem pra gente!