20 e poucos anos – Cap 30

– Vou casar-me com Edward, Samanta. “Não irei mais continuar com isto.”

Samanta tirou a boina da cabeça e passou a mão nos cabelos.

As palavras que ela tinha para dizer eram tantas, que por alguns segundos, congestionaram sua garganta. Até que ela falou:

– Hoje pela manhã, ficou claro que você tem sentimentos por mim, Carina. Não há como negar isso.
– Esses sentimentos são falsos. Não é amor de verdade. – disse Carina muito séria.
– Então, o que seria amor de verdade? É o que você sente por Edward?

Carina hesitou, mas respondeu em seguida:

– Pode ser que sim. O amor é calmo e não essa…essa coisa entre nós.
– Quem disse? – perguntou Samanta em tom de desafio.

Carina respirou fundo e respondeu:

– O padre disse, Samanta.
– Espere um pouco! Você está me dizendo, que você, que não acredita na igreja, vai aceitar a ideia de um padre?
– Não é a ideia apenas de um padre…
– E é de quem mais? É sua?
– É de todos, Samanta! Essa ideia é de todos!
– E você precisa se encaixar não é mesmo, Carina?
– Uma pessoa que não está no meio social, não é ninguém.

Samanta abaixou a cabeça, inspirou e expirou devagar , então disse:

– Escute! Eu sei que esta nossa situação está longe de ser algo normal ou algo simples de se entender, mas no final existe uma certeza…sinto-me extremamente feliz quando estou com você, Carina.

Carina desviou o olhar, mas Samanta continuou:

– Essa felicidade quando estou com você e a tristeza que sinto quando não estou, só pode ser am…
– Amor? – interrompeu Carina com desdém.
– Sim. – respondeu Sam.
– Você acredita que há amor entre nós, Samanta? Que duas mulheres podem se amar?
– Eu acredito, que eu amo você! – falou finalmente Samanta.

Carina olhou-a assustada, mas então seu ceticismo voltou:

– Ama? Então me diga, Samanta, quem você ama mais? A mim ou a garota dos Dover?
– Susan? O que ela tem a ver com esta conversa?
– Eu segui vocês na noite do noivado e vi quando se beijaram no jardim do casarão. Seu amor parece ser passageiro na presença dela, não é mesmo?
– Então é disso que se trata? Você está com ciúmes, Carina? – uma ponta de esperança nasceu no olhar de Sam, mas rapidamente se apagou quando Carina falou:
– Não seja idiota, Samanta! Olhe para nós duas! Você jamais terá cacife para me fazer sentir algo como ciúmes. Você não tem nada. Não é ninguém…
– No entanto, você saiu de sua festa de noivado para ver o que eu iria fazer. – falou Samanta séria.
– Você realmente acha…
– Tudo bem, Carina! – interrompeu Sam – Eu já compreendi. Não precisa mais se dar ao trabalho de pensar em palavras para me ofender. Não irei mais aborrecê-la.

“Esta é a sua decisão e eu irei respeitar, apesar de ter esperado algo bem diferente.”

– E o que você esperava que iria acontecer? – perguntou Carina com uma curiosidade genuína.
– Sei que não seria fácil, mas no final das contas, para todos, sou um rapaz, por isso imaginei que podia dar certo – olhou para o chão, mas continuou – nós duas, juntas, trabalhando no restaurante do seu pai e tomando conta dele no futuro…”
– Sonhos! – disse Carina – Você esperava que sonhos se tornassem realidade. – balançou a cabeça negativamente – Escute, Samanta, a vida deve ser planejada com coisas reais. Um sonho bom, apenas faz você querer ficar dormindo para sempre.

Você ainda é nova, mas um dia vai entender.

Samanta pensou um pouco, então respondeu:

– Quando eu tenho um sonho bom, eu acordo feliz e isso faz com que eu aguente melhor a minha realidade dura.

“Imagino se eu tivesse permanecido no orfanato. Lá eu tinha sonhos e quando acordava, vivia pesadelos.”

“É difícil viver nas ruas, mas no final do dia, vejo-me feliz porque estou onde eu queria estar. E essa liberdade, antes de alcançar, eu sonhei.”

Carina surpreendeu-se com as palavras de Sam, mas tentou não demonstrar.

E Samanta continuou:

– Por isso, se o lugar em que você quer estar é ao lado de Edward, eu não irei mais atrapalhar. Afinal, esse casamento sempre foi seu sonho.
– Eu planejei assim! – Falou Carina rapidamente.
– Antes de tudo, ele foi um sonho seu. Agora você não percebe, mas um dia vai entender.

Carina ficou sem palavras. E a expressão de surpresa que tentara esconder momentos antes ficou aparente.

– Onde será que ela aprendeu tudo isso? – pensou.

Diante do silêncio de Carina, Samanta tomou sua decisão. Ergueu a cabeça e, olhando nos olhos de dela, falou:

– Desejo a você e ao seu futuro marido todo o amor verdadeiro do mundo.

Então, ela colocou a boina, virou-se e fechou a porta do quarto de Carina, pela última vez.

6 thoughts on “20 e poucos anos – Cap 30

  1. Carina não quis ficar com Samanta principalmente por ela ser pobre, torço por uma volta por cima da menina Samanta, fazendo com que ela descubra que seus pais biológicos sejam muito ricos e por consequência ela ficasse rica também e desfilasse na cara da Carina com Susan como sua namorada, seria muito bom! A história está nota 10!Bj

  2. Carina não quis ficar com Samanta principalmente por ela ser pobre, torço por uma volta por cima da menina Samanta, fazendo com que ela descobrisse que seus pais biológicos sejam muito ricos e por consequência ela ficasse rica também e desfilasse na cara da Carina com Susan como sua namorada, seria muito bom! A história está nota 10!Bj

    1. Adorei sua previsão, Layla! Mas sou uma eterna romântica e ate torço para que elas fiquem juntas! Rssss

  3. Meu Deus a Carina é muito fdp, não acredito que ela teve essa coragem, de deixar e tratar desse jeito a mulher que ela ama. Concordo Layla, o ponto crucial foi a Sam ser pobre, o futuro que a Sam imaginou seria perfeito, ninguem precisava saber que ela é mulher e elas podiam herdar o restaurante. Tbm espero que a Sam dê a volta por cima e que a Carina rasteje aos pés dela.

Comente! ;)