Search for content, post, videos

20 e Poucos Anos – CAP 104

N.A.: Conselho de amiga: vejam o primeiro vídeo antes e depois leiam com a história. Já o segundo e o terceiro vocês podem ouvir só no momento indicado sem precisar assistir ;D.

https://www.youtube.com/watch?v=mHANNkKBSNU

A música soava animada no pátio agora coberto da pensão. Os ciganos haviam levantado acampamento havia alguns dias e por isso os responsáveis pela animação daquela noite eram alguns amigos antigos de Sam, da época em que ela morava nas ruas. Eles costumavam tocar em bares e festas da classe alta, mas para Sam foram de graça. Entre eles estava Steve, que saíra da padaria para se juntar à banda.

Dois deles não eram muito amigos de Samanta, pois ela, em sua época rebelde, saíra com uma das duas cantoras que atualmente era a namorada de um deles. Naquele tempo eles desconfiaram das duas e agora persistia a desconfiança e aumentara a desaprovação pelo estilo de Sam. Os dois foram para evitar brigas com os outros componentes da banda e por serem gratos à ajuda que a Senhora Rachel e o Senhor Brian lhes deram em um momento de dificuldade.

Muitos jovens da pensão e de fora (amigos de Sam) dançavam animados um instrumental que os músicos tocavam para aquecer os convidados. Aquele não era o tipo de música que a Senhora Rachel mais gostava, porém ver toda aquela animação em uma festa para ela a deixava feliz.

Emily coordenava a cozinha com a ajuda de Lourdes, que fora indicada por Kevin. Quando Sam tomou conhecimento, a latina já estava lá e para não dar alardes, não disse e nem fez nada.

Queria afastar seu passado o máximo possível, mas sabia que não poderia apaga-lo e por vezes ele poderia surgir e ela teria que aprender a lidar com a situação.

Perto da mesa, Tom dançava com Alice, sua filhinha, a rodando de um lado para o outro um pouco mais distante dos jovens que faziam passos rápidos e perigosos para a pequena menina.

Os mais velhos estavam sentados nas mesas bebendo e rindo. Menos os Stuart, estes já começavam a ensaiar alguns passos que haviam acabado de aprender com alguns os jovens do salão.

Os Kings estavam em uma mesa com o mais novo integrante da família: Donald King. Ele havia vindo do Brasil até a Inglaterra para registrar-se e para festejar com a Senhora Rachel. Viera com o novo namorado que ele conhecera no Brasil após o término com o alemão, o qual também ainda morava no mesmo país, mas agora casado com uma portuguesa que havia se mudado para o local depois da chegada deles. O alemão engravidara a moça e os três ainda viveram juntos por um tempo até que Donny desistiu do relacionamento conturbado e meses depois conheceu Marcelo no restaurante chique em que trabalhava como garçom.

Além deles, estavam na mesa Maria e Ramom, o qual havia deixado os ciganos para viver com a esposa em Londres. Todos conversavam e observavam os dançantes fazendo suas piruetas e saltos.

Susan havia chegado havia pouco tempo, tivera que fazer um malabarismo para conseguir estar ali naquele dia. Para seus pais, ela havia voltado para a França naquela noite, no entanto, ficaria em Londres voltando apenas na manhã seguinte.

Não demorou muito ela chamou Samanta para dançar um pouco no salão.

– É perigoso, Su.

– Não se preocupe. Vamos nos misturar e ninguém irá se atentar a nós com tantos bons dançarinos na pista.

Disse Susan que acabou percebendo que estava enganada, pois as duas dançaram tão bem que se abriu uma roda para que elas pudessem fazer seus passos. Os pés de Sam deslizavam na pista como se esta fosse de sabão e Susan mexia os quadris com muito charme. Tudo no ritmo da música. Elas saíram do meio da roda e outro casal entrou.

– “Ninguém irá se atentar”, não é mesmo? – perguntou Sam sorrindo e balançando a cabeça para os lados. Susan sorriu apoiando a testa no braço de Samanta enquanto caminhavam de volta para a mesa. Estavam felizes.

Mal se sentaram, ouviram a voz do Senhor Brian ao microfone pedindo que todos ficassem de pé para cantar os parabéns à Senhora Rachel.

Depois dos parabéns a comida começou a ser servida e a banda começou a tocar algumas músicas que foram pedidos da aniversariante.

[DÊEM O PLAY] https://www.youtube.com/watch?v=arejcbwFyWE

E logo ela foi para o salão dançar com o Senhor Brian que se movia sem jeito, mas o fazia feliz.

Enquanto dançavam, lembraram da primeira vez que tiveram contato em uma festa há anos atrás e aquela mesma música tocara. Naquela época, o jovem Brian já se vestia com roupas de rapaz e saia à noite às escondidas, mas naquela festa em especial estava vestido de moça, pois fora com seus pais. Ele avistou a jovem Rachel sentada em um banco apenas vendo os outros dançarem. Os rapazes se aproximavam, mas sempre puxavam uma moça próxima à jovem Rachel, nunca ela. O jovem Brian, que havia dias observava a cantora baixinha da igreja que costumava frequentar com seus pais, sentou-se ao lado da moça e estava prestes a falar qualquer coisa para iniciar uma conversa, quando foi puxado para dançar. Seus pais o haviam repreendido diversas vezes por ser “rude” e “mal educado” com os rapazes, por isso, ele se deixou levar a contragosto, mas assim que o rapaz viu que Brian não sabia dançar o deixou. Quando o jovem Brian olhou para o banco Rachel não estava mais lá. Ele a procurou por toda a festa até que a viu conversando com alguns conhecidos do lado de fora da casa. Então, mais que depressa, ele correu para as dependências de empregados onde sabia ter roupas extras para os garçons e vestiu-se, saindo em seguida pela porta dos fundos. Aquela mesma música que agora tocava na festa de 1947 começou a tocar na festa de 1920. E logo as pessoas com as quais a jovem Rachel conversava começaram a se afastar para dançar e namorar. Foi a deixa do jovem Brian que a chamou para uma dança e se viu em apuros quando lembrou-se que não sabia se mover bem no ritmo.

– Minha vontade de estar mais perto de você foi tanta que até esqueci-me como se dança. – disse ele na época para tentar encobrir sua falta de destreza.

Os dois riram ao lembrar-se daquele momento e dançaram um pouco mais até que o Senhor James se aproximou e pediu para ter a honra de dançar com a aniversariante.

Sogro e nora moveram-se levemente pela pista.

O Senhor King era um exímio dançarino.

Depois, aproximou-se Donny e começou a levar a Senhora Rachel delicadamente. Em seguida, veio Samanta, que se divertiu bastante com sua mãe logo no começo quando se desencontraram nos passos. Depois falaram bobagens enquanto dançavam mais e riam juntas.

Outros convidados foram para a pista sendo liderados pelos Stuarts que agora ensinavam aos jovens de antes os movimentos corretos para aquele tipo de música e logo a Senhora Rachel voltou para os braços do Senhor Brian.

O único cantor da banda soltou sua voz no microfone com as duas cantoras fazendo alguns passinhos ao seu lado e enquanto isso a comida era servida nas mesas.

Aproveitando que todos estavam entretidos, Susan e Sam foram uma de cada vez para o quintal da pensão e lá dançaram mais à vontade, não muito tempo depois chegaram Donny e Marcelo com uma garrafa de whisky barato e os quatro começaram a beber e a dançar juntos. Eles trocaram de par e destrocaram diversas vezes. Depois fixaram seus respectivos pares e dançaram mais carinhosamente. Os dois rapazes logo sumiram e Sam e Susan ficaram a sós novamente. Elas trocaram carícias e palavras de amor. Depois se sentaram em duas das várias cadeiras que estavam ali para o caso de serem necessárias na festa.

As duas namoraram um pouco, conversaram e logo sentiram fome.

– Vou pegar algo para nós. Espere-me aqui. – disse Sam e correu para a cozinha. Estava colocando comida em dois pratos quando Emily entrou apressada.

– Eu disse que deveríamos servir a comida antes da bebida. Agora estão todos bêbados e ao invés de botar a comida na boca estão botando no chão.

Samanta sorriu, assim que Emily saiu da mesma forma que entrara com um esfregão na mão. Mal tirou os olhos da porta, Lourdes entrou e seu sorriso esmaeceu.

– Quanta felicidade em me ver, muchacha. – disse ela e colocou a bandeja na pia atrás de Samanta, o que a fez se aproximar.

“Quer dizer então que você foi fisgada?”

Sam franziu o rosto como quem não estava entendo e Lourdes falou secamente.

– Susan Dover.

Samanta olhou para baixo e sorriu, em seguida voltou-se para Lourdes e disse:

– Se “ser fisgada” é sinônimo de ser fiel. Então sim, fui fisgada. – sorriu.

– Entendo. Então quer dizer que não tenho mais nenhuma chance com você, mi amor? – falou isto e tocou a gola do terno de Sam, deslizando a mão para cima e para baixo. – Nenhuma? – sussurrou tocando seu corpo no da morena.

– Não, Lourdes. Nenhuma. – disse Sam que se afastou um pouco. Nada muito brusco ou sobressaltado, mas foi o suficiente para Lourdes recuar.

Ela olhou para Sam surpresa. Sempre conseguia o que queria da inglesa. Aquela fora a primeira vez que recebera um não dela. Deu um sorriso nazalado ao compreender que a moça realmente havia se apaixonado. Então disse:

– Você é quem perde. – e se pôs a colocar alguns pratos prontos na bandeja, dando as costas para Sam.

Samanta por sua vez, pegou os que tinha feito, mais dois refrigerantes e saiu respirando fundo de alívio. Acreditava que resistir aos encantos de Lourdes seria sua prova de fogo àquela noite, pois a latina mexia com seus hormônios, mas tudo não passava disso e naquele momento nem mesmo isso fora tão intenso quanto o que estava tendo com Susan.

– Você demorou. – disse a ruiva assim que avistou Samanta.

– Desculpe, estava procurando pratos. – mentiu para não gerar discussões em torno de algo resolvido.

Elas comeram, beberam os refrigerantes direto da garrafa e depois decidiram voltar para a festa, pois já estavam há um bom tempo longe de todos.

No pátio da pensão as moças da banda cantavam um lindo dueto.

Donny e Marcelo ainda não haviam voltado para a festa o que gerou algumas teorias na cabeça de Sam fazendo-a sorrir.

Tom e Emily dançavam agora na pista ao lado de Ramom e Maria, enquanto a irmã de Antony cuidava da pequena Alice.

[PLAY AGORA, MY DEARS]  https://www.youtube.com/watch?v=TZNIKZdoehE

Foi então que a música acabou. Todos aplaudiram e em seguida, o cantor iniciou uma música de Frank Sinatra. Quase todos os mais velhos se levantaram e foram com seus esposos e esposas para a pista. Já a maioria dos jovens se afastou para beber, fumar, conversar ou comer. Apenas três casais jovens foram dançar, dentre eles Samanta e Susan que ainda tinham um pouco de Whisky na cabeça e, contando com a simpatia dos conhecidos ali presentes, começaram a dançar próximas e olhando-se nos olhos.

 

( TRADUÇÃO DA MÚSICA: You Make Me Feel So Young – Frank Sinatra

 

Você me faz sentir tão Jovem

 

Você me faz sentir tão jovem

Você me faz sentir como se a primavera tivesse começado

Toda vez que eu vejo você sorrir

Eu me torno um indivíduo tão feliz

 

No momento em que você fala

Eu quero ir e brincar de esconde-esconde

Eu quero ir e saltar até a Lua

Exatamente como um balão

Você e eu, somos apenas um casal de crianças

Correndo pelos prados

Colhendo muitos não-me-esqueças

Você me faz sentir tão jovem

Você me faz sentir que há canções a serem cantadas

Sinos a serem tocados e maravilhosos vôos a voar

Até mesmo quando eu estiver velho e grisalho

Eu me sentirei do mesmo modo que me sinto hoje

Porque você me faz sentir tão jovem. )

 

Os King rodopiaram ao lado delas e de afastaram pista a dentro. Os Stuart passaram ao longe com sorrisos largos nos rostos. A Senhora Rachel dançava com o Senhor Brian perto do palco improvisado enquanto perto da mesa, Emily batia em Tom para que ele lhe desse atenção, pois conversava com seu amigo Donny, que acabara de voltar, enquanto dançava com ela. Ao lado deste, Marcelo se movia abruptamente para pegar Alice que tropeçara e mais distante, em um local mais escuro, Ramom beijava o pescoço de Maria enquanto esta falava safadezas em seu ouvido.  Porém, Samanta e Susan nada viam. Estavam imersas uma na outra. Elas se aproximaram mais, desligando todos os alertas que as mantiveram distantes em público até aquele momento.

O olhar penetrante de Samanta, seu cheiro, seu sorriso, atraiam Susan como um imã e ela teve que apoiar sua cabeça no ombro da morena para evitar de beijá-la ali mesmo. Dançaram assim até que em dado momento da música a jovem ruiva emparelhou seu rosto com o da morena e cantou no ouvido desta:

– “And even when I’m old and gray

I’m gonna feel the way I do today

‘Cause you make me feel so Young”

 

(“Até mesmo quando eu estiver velha e grisalha

Eu me sentirei do mesmo modo que me sinto hoje

Porque você me faz sentir tão jovem”.)

 

Elas voltaram a se olhar e sorriram uma para outra. Samanta então moveu os lábios sutilmente, sem emitir som algum. Assim que Susan entendeu o que ela havia dito, corou e piscou bobamente. Então falou ao ouvido dela de novo:

– Eu também amo você. – e voltou a encostar-se ao ombro de Sam enquanto a música repetia.

E assim ficaram, sem perceber que da porta da pensão um dos três recém-chegados convidados olhava para elas com ódio crescente.

 

N.F: Devido a problemas de plágio, comecei a postar a história no wattpad e no spirit. Os capítulos lá terão uma contagem diferente daqui porque eu já estava reeditando a história, mas o rumo em si não mudará. Por isso quem quiser, pode acompanhar por lá que inclusive será mais fácil de ver os comentários, mas claro que aqui sempre estará adiantado.

Aproveito e reforço a importância de não se copiar conteúdo alheio sem permissão ou sem as devidas referências, o que não foi o caso, pois a pessoa em questão estava 100% se passando por mim até nas notas iniciais e finais.

Se você, que teve a cara de pau de agradecer capítulos e receber carinho pela mãe doente de outra pessoa, estiver lendo isso. De tudo que posso desejar a você, a única coisa que NÃO desejo é mau para sua mãe, pois com câncer de mama não se brinca, principalmente quando este já está se espalhando. Espero que sua mãe esteja bem e você também (apenas no quesito saúde, porque minha raiva do que aconteceu ainda não passou pra eu desejar mais que isso a você). Espero ainda que você procure ajuda com urgência, pois isso que você fez não é coisa de pessoas que tem a mente no lugar e estão em paz com a própria alma. No mais, apenas espero que você apareça de novo. Sim. Apareça! Minha raiva me cegou e ao invés de denunciar você, eu te alertei. Na próxima, tenha absoluta certeza que serei mais silenciosa e o impacto será maior.

 

Bom, falando agora com vocês queridxs leitorxs. Tendo em vista esse último acontecimento, posto aqui minhas redes sociais e os links de onde a história está sendo postada:

 

Facebook: https://www.facebook.com/gggarciacc

Twitter: https://twitter.com/gabizitacc1

Wattpad: http://my.w.tt/UiNb/dFDoOw4OvF 

Spirit: https://spiritfanfics.com/historia/20-e-poucos-anos-9950074

 

Finalizo, reinteirando meu pedido de orações pela saúde da minha mãe. Todas são muito bem vindas. 

Grande abraço a tdxs!